Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Cadastrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar"

Seis dias de mochilão sozinho pelo Uruguai

editado março 2016 em América do Sul


Fazer uma viagem para outro pais, não é simplesmente conhecer os pontos turísticos. Durante o mochilão, pude perceber que o mais importante estava em conviver com novas pessoas e conhecer diferentes culturas.  Neste ano, entre os dias 25 a 31 de janeiro, realizei um mochilão sozinho de seis dias pelo Uruguai. Visitei as seguintes cidades: Chuy, Punta Del Diablo, Montevidéu, Colônia Del Sacramento e Punta Del Este.

Diante dessa experiência, vou compartilhar com vocês algumas histórias que se passaram durante esses dias. Também, vou dar algumas dicas para quem estiver interessado em fazer um mochilão, ou a quem deseja conhecer o país uruguaio.


Primeiro passo: Planejando o seu mochilão

Planejamento. É importante, antes de mais nada você se preparar para fazer um mochilão. Pesquisar sobre o país que deseja visitar. Conhecer suas culturas, línguas, moeda, e etc.

Eu, por exemplo, planejei a viagem, alguns meses antes. Devo confessar, que decidi em cima da hora, a data, mas estava preparado para isso. Era só questão de pegar o ônibus e partir.

É bom, ao menos estar com o seu roteiro pré-definido. As cidades que você deseja visitar, pontos de ônibus, de avião (tudo deve ser planejado antes), terminais e o dinheiro que irá usar (muito importante). Para isso é preciso pesquisar. Busque informações em sites de mochileiros, entre outros.

Depois de muita pesquisa, marque o dia da sua viagem. Ao longo do caminho, em algum momento, você terá que tomar medidas drásticas, a ponto de mudar o roteiro previsto. Mas isso faz parte, não se preocupe.


Uruguai: Um país de pessoas solícitas

Depois de retornar de viagem, muitas pessoas vieram me questionar, o porquê de ter escolhido o Uruguai como destino.

A resposta é bem simples. “Mochileiro de primeira viagem”. Um país que faz divisa com o estado do Rio Grande do Sul, ideal para um primeiro mochilão. Ainda mais se você pensa em fazer, assim como eu, todo trajeto de ônibus, saindo de Porto Alegre-RS.  

O Uruguai é um pais com extensão de 176.215 km². Você consegue atravessar o país, utilizando apenas o transporte público. Vale ressaltar que o transporte público no país é muito bom. Em cada terminal rodoviário, você consegue ônibus para qualquer destino e os preços são bem acessíveis.

Outro ponto positivo do Uruguai são as pessoas, principalmente os uruguaios. Eles são muitos solícitas com os turistas, ainda mais se for brasileiro. Em todos as ocasiões em que parei para pedir informação fui bem atendido. Não tive nenhum problema.

Posso citar, como exemplo, o caso quando me perdi pelas ruas de Montevidéu. 

Parei para perguntar para dois uruguaios sentados em banco, próximo ao Palácio Municipal. “Aonde ficava o Mercado do Porto? ”.  Eles falaram que era para o lado, contrário do que estava indo. Como estava fazendo todo o trajeto todo a pé, disse que voltaria caminhando até lá.  "Não, não, não. Eu pago sua passagem. Pega o ônibus aqui na frente e vai até lá", disse um deles. Ele tirou 12 pesos do bolso e me alcançou.


Por esse e tantos outros motivos, recomendo a todos que pensam em fazer um mochilão pela América do Sul, que comece explorando o Uruguai. Há tantos lugares bonitos e pessoas bacanas para conhecer.

Não deixe de visitar Punta Del Diablo e permanecer, ao menos uma noite, no pequeno vilarejo. Se você procura uma noite mais agitada, hospede-se no Compay Hostel. Fica a poucos metros da praia, tem música e pessoas de todo o mundo. Converse, troque ideias e divirta-se!



Durante a minha passagem por Punta Del Diablo aconteceu comigo o tal de “perrengues de uma viagem”. Meu cartão de crédito internacional estava bloqueado (portanto é importante desbloquear ele antes de viajar), e tive que retornar ao Brasil para retirar mais dinheiro. Por sorte, estava muito próximo.

Acordei cedo, coloquei minha mochila nas costas e fui fazer o check out, no Hostel,. Decidi que iria pagar com o cartão de crédito que levei por motivos de segurança. Já o restante do dinheiro guardaria para pagar o transporte, comida e hospedagem. Nesse momento tive uma surpresa: o cartão crédito falhou. Não tinha o que fazer, a não ser desembolsar grande parte do meu dinheiro em reais, que custou R$ 170, as duas noites.

Sai já pensando no que iria fazer mais a diante. Do Hostel fui para o terminal rodoviário de Punta Del Diablo. O transporte é feito por uma van que cobra $ 20 pesos, equivalente a R$ 3,00. Chegando no terminal, comecei a contar o meu dinheiro. Ainda havia sobrado $ 600 pesos (R$ 85,00) e R$ 70,00. Esse valor apenas pagaria a minha passagem até Montevidéu. “E depois? ”. Sem outra opção, optei por retornar ao Brasil. Comprei uma passagem até o Chuy-RS e lá procurei por um banco brasileiro para retirar mais dinheiro. 

No Chuy-URU existem várias agências uma do lado da outra, bem próximo ao terminal. É possível pegar um ônibus direto à Montevidéu. 



Na capital uruguaia permaneci por uma noite e um dia. Achei pouco. Recomendo que fique, pelo menos dois dias. Os principais pontos turísticos podem ser feitos a pé, desde que você esteja hospedado no centro. Um ponto de referência é a Avenida 18 de Julho. 


De Montevidéu pegue um ônibus até Colônia do Sacramento. A cidade mais antiga do Uruguai, fundada em 1680, pelos portugueses, possui um estilo diferente das outras. Um passeio pelo centro histórico é como fazer uma viagem ao passado. As ruas e casas foram preservadas, mantendo o seu aspecto original. Em um dia é possível conhecer todos os pontos turísticos de Colônia. O importante é você caminhar sem roteiro definido.


Se você tiver interesse, pode atravessar o Rio da Prata e ir até Buenos Aires, em 40 minutos. No caso ganhei uma carona para Montevidéu, e preferi conhecer Punta Del Este.  Conheça Punta e se tiver dinheiro, fique por lá, por mais de um dia. Mas tenha a consciência de que lá é tudo muito caro. Então, Fuja de lá mochileiro!!!!


Em toda a minha viagem não reservei nenhum local de hospedagem. Apesar de hoje em dia ser muito fácil de realizar reservas em hotéis, hostels e pousadas, optei por não fazer. Queria sentir a adrenalina, a emoção, o medo de chegar em um lugar desconhecido e sair a procura de um local para dormir. Esse foi um dos principais objetivos do meu mochilão: A aventura.

Portanto, vá ao Uruguai e aproveite tudo o que o país tem a lhe proporcionar.  Acredito, que um mochilão de seis dias é o suficiente para viver bons momentos e proporcionar boas histórias. Arrisque-se, aventure-se e permita ir mais longe! 

Caso tenha alguma dúvida, ou queira saber mais informações, entre em contato pelo email: mateushenriqueh@hotmail.com, ou deixe seu comentário. Terei o prazer em responder. 

 

Comentários

Entre ou Cadastre-se para fazer um comentário.